Publicidade

Confrontos entre Brasil e Argentina apenas entre quatro linhas, tatames ou pistas? Certo é que as disputas entre os países possuem forte carga emocional, não só no futebol, mas em cada competição esportiva e há quem afirme que ganhar dos argentinos possui um gosto especial. Não lembramos muito de onde vem essa vontade de vencer e Cenas de Combate lembra que essa rivalidade possui origem num conflito militar conhecido como Guerra da Cisplatina (1825 a 1828).

Essa guerra ocorreu pela disputa do território que atualmente corresponde ao Uruguai, na época do conflito conhecida como região da Cisplatina, fundada por portugueses em 1680 com o nome de Sacramento e importante ponto estratégico no sul do continente. Em 1777 os espanhóis dominaram a região e as tensões começaram. Após 1808 com a chegada da corte portuguesa ao Brasil, Dom João VI, incorporou novamente a região que já vivia sob costumes espanhóis ao enviar tropas para Montevidéu. Essa ocupação foi uma retaliação a Espanha que permitiu que tropas napoleônicas atravessassem seu território para invadir Portugal.

Praia Grande (SP): embarque das tropas que participaram do combate na cidade de Montevidéu. Gravura de Debret.

Tropas brasileiras com cerca de 14 mil soldados e lideradas por Francisco Frederico Lecor invadiram e anexaram a Cisplatina em 1816. Anexando essa região ao Reino de Portugal, Brasil e Algarves.

Batalhas e desfecho

Liderados por João Antonio Lavalleja e um grupo conhecido como 33 orientais, com a intenção de declarar independência ou se unir as Província Unidas, a população da Cisplatina se revoltou em 1825 . A Argentina contribuiu com suprimentos, armas e apoio político visando no futuro anexar a região. Dom Pedro I declarou guerra aos insurgentes e a Argentina, se envolvendo num conflito com enormes gastos para a coroa e terríveis derrotas militares aos brasileiros nas batalhas de:

Publicidade
  • Rincão das Galinhas: foi travada em setembro de 1825, e as tropas brasileiras foram derrotadas.
  • Juncal: batalha naval entre esquadras comandadas por William Brown (Províncias Unidas) com os navios argentinos e Sena Pereira (Império Brasileiro). Ocorreu nos dias 8 e  9 de fevereiro de 1827, nas águas do Rio da Prata e a Marinha brasileira foi derrotada. Como resultado o Império Brasileiro não conseguiu cortar as linhas de comunicação inimigas além de ter doze navios capturados e três queimados (entre 17 navios).
  • Ituzaingó: batalha travada em 20 de fevereiro de 1827 em que, novamente, as tropas brasileiras foram derrotadas. Com cerca de 1200 brasileiros mortos e que forçou o Brasil a entrar em negociações.

Fonte: Atlas História do Brasil, Ed. Scipione/Ilustração: Luciano Veronezi.

Como potência mundial da época a Inglaterra atuou como mediadora do conflito porque possuía interesses econômicos na região. A velha estratégia de dividir para conquistar e propôs um acordo onde nem Brasileiros, nem Argentinos ficariam com a região. Após a assinatura da Convenção Preliminar da Paz de 27 de agosto de 1828 o Brasil aceitou sua derrota militar e declinava suas pretensões territoriais na região. Nascia a República Oriental do Uruguai independente da Argentina e do Brasil.

Batalha de Juncal. Jose Murature – Domínio Público.

Publicidade

Comentários

Comments are closed.