Publicidade

Ela tinha três anos na época. E quando ela conheceu Steven Spielberg pela primeira vez, ela teve que prometer a ele que não assistiria ao filme até completar 18 anos.

A maioria de nós já assistiu ao icônico filme A Lista de Schindler, produzido e dirigido pelo famoso cineasta Steven Spielberg. Sem dúvida, as cenas, muitas vezes brutais, marcaram nossas mentes e corações.

Lembre-se da garotinha com o casaco vermelho-sangue brilhante em um cenário preto e branco. Ela brilha como um farol em meio à carnificina e brutalidade que ocorrem ao seu redor. O excelente trabalho de câmera e o conhecimento de que A Lista de Schindler é uma história real tornam esta representação cinematográfica ainda mais potente.

Oliwia Dabrowska da Polônia fez o papel da garota de casaco vermelho depois que ela foi escalada para o papel em 1993. Ela tinha três anos na época. E quando ela conheceu Steven Spielberg pela primeira vez, ela teve que prometer a ele que não assistiria ao filme até completar 18 anos.

Mas ela quebrou sua promessa a Spielberg – uma escolha da qual se arrependeu. Depois de ouvir tanto sobre sua parte no filme de familiares e amigos, ela decidiu dar uma espiada quando tinha 11 anos.

Spielberg em 1993.
Spielberg em 1993.

Muito jovem para tanto horror

Era definitivamente jovem demais para testemunhar as travessuras do infame SS-Hauptsturmführer Amon Göth, interpretado por Ralph Fiennes. O ator inglês passou inúmeras horas tentando entender o personagem de Göth antes de assumir o papel. Ele até tentou apagar todos os pensamentos para recriar a sensação de infância de derrubar latas em uma parede com um rifle de ar.

Imediatamente, uma cena de assinatura vem à mente. Lembramo-nos de um homem de camiseta e calções de uniforme, apreciando sua vista panorâmica da sacada de sua vila. No entanto, esta não é uma vista comum de um cenário pitoresco e idílico ou um oceano calmo. Em vez disso, o vasto campo de concentração Cracóvia-Plaszóvia está espalhado diante dele. 

A liquidação do Gueto de Cracóvia em março de 1943 é o tema de um segmento de 15 minutos do filme.

Ele então dá uma tragada profunda no cigarro pendurado em seus lábios. Em seu ombro, seu rifle está frouxamente empoleirado, refletindo sua completa indiferença. Mas seus olhos, ferozes e cintilantes, exibindo uma alegria quase maníaca, estão voltados para baixo.

Então, ele puxa mais uma vez o cigarro antes de colocá-lo à sua direita. O homem calmamente se inclina para frente, mira e começa a atirar aleatoriamente. Este caprichoso ato de violência tem como alvo homens, mulheres e crianças inocentes que por acaso chamam sua atenção.

Fábrica de esmaltes de Oscar Schindler em Cracóvia
Fábrica de esmaltes de Oscar Schindler em Cracóvia

Portanto, não é surpresa que Oliwia tenha ficado traumatizada com a experiência de assistir ao filme. Ela até se sentiu envergonhada por sua participação no filme, pedindo a seus pais que parassem de contar a outras pessoas que ela já havia atuado no filme.

Só quando completou 18 anos Oliwia se arriscou a ver o filme pela segunda vez. Foi só então que ela entendeu o papel fundamental que desempenhou em fazer de A Lista de Schindler uma das produções cinematográficas de maior sucesso de todos os tempos. Agora, ela pode dizer que está orgulhosa de sua parte nisso.

A fábrica de Schindler no antigo local do campo de trabalho de Brünnlitz, República Checa, em 2004
A fábrica de Schindler no antigo local do campo de trabalho de Brünnlitz, República Checa, em 2004

Oskar Schindler

O filme retrata a história de Oskar Schindler, o homem que salvou mais de 1.000 judeus da deportação para o campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau. Ele era um candidato improvável para tal papel, para dizer o mínimo. O filme o retrata corretamente nas cenas iniciais como um empresário oportunista que vê a guerra como sua melhor chance de ganhar riqueza.

Publicidade

E ele faz isso com um floreio extravagante e astuto. Com a ajuda do inteligente contador judeu Itzhak Stern, interpretado por Ben Kingsley, Schindler monta a Deutsche Emailwarenfabrik Oskar Schindler (“Fábrica Alemã de Esmalte Oskar Schindler”). As riquezas logo chegam, aparentemente preparando-o para a vida após a guerra.

No entanto, ele logo percebe a brutalidade do regime nazista. Stern, agindo como sua consciência, lenta mas seguramente corrói a despreocupação de Schindler com estratagemas astutos. No entanto, é a garotinha de casaco vermelho que realmente abala a moralidade de Schindler.

Oskar Schindler, depois da guerra
Oskar Schindler, depois da guerra

A garota do casaco vermelho

De seu ponto de observação a cavalo em um afloramento com vista para Cracóvia, Oskar Schindler testemunha a liquidação do gueto de Cracóvia em 13 de março de 1943. Spielberg dedica 20 minutos do filme a esse banho de sangue. É uma representação brutal e magistral de um dos momentos mais vergonhosos da humanidade.

Onde quer que algo aconteça, a câmera está na altura dos olhos entre as vítimas – nas escadas das casas, na imundície dos quintais, na beira da estrada onde os cadáveres estão empilhados, no depósito crivado de balas. O resultado é um mosaico rítmico de assassinato que não é mais uma ilustração de eventos, mas sim um retrato de puro pânico, horror latejante e uma fúria de medo escorrendo na tela.

A construção dos muros do Gueto, maio de 1941.
A construção dos muros do Gueto, maio de 1941.

A estética do antigo cinejornal não volta aqui. Em vez disso, o efeito das reportagens de televisão – a realidade instantânea das cenas de rua que poderiam ter ocorrido em locais como a Síria moderna – são refletidos em um passado em que não havia televisão. Com essas imagens arrepiantes, que não têm equivalente na história do cinema, Spielberg consegue fundir filmagens em estilo documental com drama cinematográfico.

A partir daí, o filme traça todas as fases de um dos mais extensos extermínios conhecidos na história. O espectador é levado em uma viagem das carruagens de gado, ao processo macabro de seleção, à chamada “desinfecção” em Auschwitz, finalmente quebrando o mito que ofuscou esse inferno.

Deportação de judeus do gueto, março de 1943
Deportação de judeus do gueto, março de 1943

Algo desperta em Schindler quando ele vê a garotinha assustada em um casaco vermelho, tecendo seu caminho através da carnificina até que ela finalmente desaparece em uma porta, aparentemente segura. Um ano depois, ele novamente encontra a garota com o casaco vermelho impressionante – em uma carroça contendo vítimas do gueto enquanto ela sacode sobre o chão áspero em direção a um poço onde os cadáveres são depositados em chamas.

É em algum momento entre esses dois momentos cruciais do filme que Oskar Schindler decide desempenhar seu papel na frustração da Solução Final dos nazistas.

Túmulo de Schindler em Jerusalém. A inscrição hebraica diz: “Justo entre as nações”.
Túmulo de Schindler em Jerusalém. A inscrição hebraica diz: “Justo entre as nações”.

Com a ajuda de Stern, ele compila uma lista que seria lembrada por gerações de judeus até hoje. É um ato de compaixão e bravura que ganha força até o final do filme.

Mostra como um ex-empresário sem escrúpulos gasta toda a sua fortuna ilícita para salvar a vida de 1.100 homens, mulheres e crianças do massacre de Auschwitz.

Publicidade

Comentários

Comments are closed.