Publicidade

A China fez “progresso impressionante” no desenvolvimento de novas armas nucleares, mas nunca as usará primeiro, disse o ministro da Defesa do país, Wei Fenghe, no último domingo.

O funcionário disse aos delegados na cúpula de segurança do Diálogo Shangri-La que o principal objetivo do programa nuclear chinês que vem se desenvolvendo nas últimas cinco décadas é evitar uma guerra nuclear. 

“A política da China é consistente. Usamos para defesa pessoal. Não seremos os primeiros a usar (armas) nucleares”, disse o ministro em resposta aos relatórios do ano passado sobre mais de 100 novos mísseis nucleares construídos na China.

“Desenvolvemos capacidades nucleares para proteger o trabalho duro do povo chinês e proteger nosso povo do flagelo da guerra nuclear”, acrescentou. 

Publicidade

Fenghe também comentou sobre as crescentes tensões com os EUA sobre Taiwan. O chefe de defesa da China disse que Pequim “lutará até o fim” contra a independência da ilha. A declaração veio depois que o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, em seu discurso no Shangri-La Dialogue, denunciou a China por “desestabilizar” a atividade militar perto de Taiwan. 

O ministro da Defesa da China respondeu dizendo que Pequim “não tinha escolha” e alertou contra novas tentativas de separar Taiwan da China. “Ninguém deve subestimar a determinação e a capacidade das forças armadas chinesas de salvaguardar sua integridade territorial”, disse ele. 

No início de maio, o presidente dos EUA, Joe Biden, se comprometeu a defender Taiwan militarmente em caso de agressão chinesa, já que Pequim vem aumentando suas incursões de aeronaves militares na zona de identificação de defesa aérea da ilha. 

Publicidade

Comentários

Comments are closed.